Consultor do Senado contesta redução de gastos destinados pelo Governo para socorrer os mais vulneráveis durante a pandemia

Consultor Legislativo do Senado Federal, o economista Mário Lisbôa Theodoro criticou a redução de recursos destinados pelo Governo Federal à população em situação de vulnerabilidade social por conta da extensão – e agravamento – da pandemia da Covid-19 no país.

Em artigo publicado na Folha de S. Paulo, Theodoro destacou que existem alternativas viáveis para evitar a redução drástica do orçamento previsto para o auxílio emergencial em 2021 – R$ 44 bilhões contra os R$ 300 bilhões gastos em 2020, a partir da mobilização de valores parados em diversos fundos não constitucionais, de uma maior arrecadação de recursos oriunda de uma reforma tributária ou ainda, a política de emissão de moeda adotada, segundo ele, por diversos países durante a crise sanitária.

Clique aqui e confira a íntegra do artigo